Inspiração

Re(crie)-se

Já ouviu a expressão “malcriado”? Alguém já falou ela para você?

Sim… Não… ?! Pra mim sim, já falaram algumas vezes que eu sou “malcriada”, e de verdade, sendo bem sincera, é o palavrão (se pode chama-lo assim) que mais me ofende. Por quê? Bem, porquê se eu sou uma pessoa “malcriada” a culpa não é propriamente minha, e sim de quem me criou. E quem me criou? Meus pais, meus professores, meus amigos, as experiências pelas quais vivi, os livros que li, as viagens que fiz, as músicas/bandas/cantores os quais eu sou fã e os que eu também não sou, os blogs e sites que leio, os filmes e séries que assisti, sonhos e desejos, as conquistas e as derrotas, as crenças … tudo isso (e muito mais) me criou e me criam diariamente. E eu não acho que sou “malcriada”.

Uma vez eu respondi mais ou menos isso que escrevi aí em cima para a pessoa que dizia que eu era “malcriada”, acho que a fiz pensar na expressão e todo o peso que ela traz. Nunca mais nos falamos. Fui “malcriada”!?

Nós criamos tantas campanhas, peças, textos todos os dias e as vezes eles são reprovados, isso quer dizer que o trabalho foi “malcriado”? Não, só quer dizer que não atingiu a expectativa ou a necessidade do cliente, aí então voltamos ao trabalho e recriamos ele, com base no que já temos e no feedback recebido. Buscamos novas inspirações, pedimos opiniões… Assim pode ser com a nossa vida também.

Recriar não significa que o que foi criado antes era “malcriado”, apenas que não atingiu o objetivo; para não desistir e continuar o caminho temos que buscar novas, ou as mesmas criações e refazer. Recriar-se!

(Você já havia pensado nisso? Você é “malcriado”? O que te faz ser “malcriado”? Você gostaria de ser criado de novo? Ou prefere se recriar? )

 

Share:

Comentários no Facebook