Comunicação

Já pensou em ser um Coolhunter?

Coolhunter em poucas palavras: aquele que CAÇA COISAS LEGAIS.

Ser um coolhunter é trabalhar com a futurologia, com a antecipação de tendências, com a leitura da sociedade e seus novos desejos, comportamentos e hábitos.

O coolhunter precisa ter e trabalhar com o pensamento antecipado e não linear. Tem que buscar inspirações nos mais diversos universos e usar a sua intuição e sensibilidade para processar as informações e conseguir prever/ditar algo que vai viralizar e ser tendência.

“É uma metodologia de observação de sinais emergentes da sociedade. Trata-se de uma ferramenta para auxiliar as empresas a observarem o comportamento humano no mundo.”

“É o profissional que é contratado por determinada marca ou empresa com a missão de perceber e identificar tendências, comportamentos e estilos e antecipá-los ao cliente. Na prática, trata- se de um pesquisador que precisa observar diversas áreas, como moda, arquitetura, literatura, música e cinema em um âgulo 360 º para apresentar um olhar diferente das pesquisas tradicionais de mercado.”

Sobre Steve Jobs:

“Ele não foi perguntar aos seus consumidores o que eles queriam antes de lançar o iPhone. Porém, um grupo precursor já demonstrava sinais de afinidade com tecnologia amigáveis, e imaginava facilidades como o touch e compartilhamentos. As manifestações vêm a partir de produtos, lugares, filmes, músicas, arquitetura. Tudo dá mecanismos para entendermos o que as pessoas querem, quais são os novos valores e o que é importante para elas no momento.”

Estas falas são da Sabina Deweik (representante no Brasil do instituto de pesquisas de tendências de consumo, Future Concept Lab) em entrevista para o Gaúcha ZH – acesse a entrevista completa aqui – Sabina Deweik, caçadora de tendências pioneira no Brasil: “Sair grifado dos pés à cabeça era bacana, agora não é mais”.

Mas além de tudo isso, este profissional, também precisa ser organizado e anotar, registrar, catalogar cada ideia, imagem, fotografia e pensamento.

O trabalho do coolhunter não pode se basear no achismo, e sim na ciência da observação e em resultados concretos de pesquisas e análises.

O cenário social deve ser estudado como um todo (comportamentos, momentos políticos, a economia, meio ambiente), e uma característica peculiar necessária para este profissional é ser totalmente sociável e se sentir confortável nos mais diferentes ambientes.

Existe até uma analogia com os 4Ps do Marketing para com o coolhunter: pessoas (people), lugares (places), planos culturais (plans) e projetos (projects).

O canal Cult Cultura (plataforma digital especializada em tendências e curiosidades sobre arte, cultura e entretenimento) publicou um vídeo falando um pouso sobre essa caçada de tendências, veja:

Vale a pena lembrar que o coolhunter não se aplica somente à moda, mas a todos e quaisquer segmentos.

 

Share:

Comentários no Facebook