Publicidade

Precisamos falar sobre o mercado

Chegou a segunda, pouco a pouco os companheiros de trabalho vão chegando, e começam os “desafios” da semana. Todos precisam estar comprometidos e cientes de suas responsabilidades para que a agência possa fluir e satisfazer as demandas de seus clientes.

Mas sejamos sinceros, quem supri a nossa demanda?

Não entendeu? Pois bem, o estresse diário, as mudanças de carreiras, as horas extras não remuneradas, a busca por novos ares e aí… já bateu um cansaço. As reclamações, com razões, sobre o mercado não são de hoje, madrugadas afora trabalhando por “concorrências” desleais, salários que não condizem com a produtividade dos criativos, reuniões e mais reuniões, o desgaste por sair do trabalho, mas o trabalho não sair de você. Mas calma, amo o que faço, não estou aqui para atacar o setor de comunicação, mas convivo com pessoas e mais pessoas, que defendem as mudanças, e outras que migraram drasticamente a carreira por estarem esgotadas.

A 4A’s (Associação Americana das Agências de Publicidade) em parceria com o LinkedIn, trouxe à tona algumas razões para essas baixas dentro da “indústria criativa” e como já imaginávamos elas não são nada surpreendentes, pelo contrário. Os resultados trazem: Não atender as expectativas do colaborador, não sentirem oportunidade de crescimento, que não se sentiam desafiadas, problemas com as lideranças e insatisfação com o reconhecimento e benefício salarial. Nancy Hill, presidente da 4A’s disse em entrevista “É preciso que as agências ajudem as pessoas que estão chegando à indústria a ter experiências, e não apenas trabalho pesado”.

Aproveito para complementar com a frase da Maya Angelou, “As pessoas esquecerão o que você disse. Esquecerão o que você fez. Mas, nunca esquecerão o que você as fez sentir. O marketing de experiência anda em alta, o que a marca pode oferecer aos seus clientes além dos produtos e serviços? Certamente você publicitário, poderia fazer um brainstorming com seus companheiros para achar essa resposta para determinada marca, mas e para a sua própria agência? O que você pode contribuir com a galerinha dos famoso “RH”?

Olhem o Buscapé e o Google por exemplo, eles não têm receio de questionar os modelos tradicionais de gestão e de repensarem no que podem ser feitos para atender da melhor forma seus colaboradores, isto é experiência. É disto que estamos falando.

O que hoje sua agência lhe oferece? Um sofá para descansar? Alguns quadros na parede para parecer despojados? Agências são ambientes pseudo descontraídas. Caro colega de faculdade não se engane, passamos por diversos perrengues.

Calma, não estou jogando essa responsabilidade para vocês, sabemos que alguns donos de agência acreditam que somos mecânicos e temos ideias “x” a toda hora, mas estou lançando a discussão, que muitas vezes começa e acaba sem uma resposta para resolver isso. Então sejamos práticos, temos um problema, o que podemos fazer para resolvê-lo? É sobre isso que devemos pensar.

Provavelmente você deverá estar lendo este artigo no final do dia, mas retomo a pergunta do início deste, quem está suprindo a nossa demanda? Ou só estamos suprindo a de outras pessoas? E mais, estamos pedindo muito? E os nômades digitais…? E já fica um spoiler sobre nosso próximo tema.

Ps: E eu nem mencionei o troca troca de publicitários nas agências. Vamos discutir mais sobre o mercado…

Share:

Comentários no Facebook